domingo, 1 de abril de 2018

O que se passou aqui há 8 anos (Março 2010)?

Podemos encontar em meios de comunicação social uma coluna de efemérides, recordando notícias de há 10 ou 100 anos. Aqui vai ser diferente, nem 100 nem 10, apenas 8 anos.
Foi em Março de 2010 que passámos (eu e o meu sócio e amigo de longa data, Oliveira Azevedo, mais conhecido pelo Juca),para outras mãos, a loja/garrafeira Coisas do Arco do Vinho (CAV). Mas não me desliguei destas coisas do vinho, pois em 19 de Março estava a publicar a minha 1ª crónica neste blogue.
No final de cada mês mencionarei o que mais interessante, na minha óptica, aconteceu no enófilo militante há 8 anos atrás. Hoje é o dia dedicado às crónicas publicadas no decorrer de Março 2010.
Entre as 13 crónicas publicadas, seleccionei estas:
."Núcleo Duro", em 19/3
Foi a 52ª prova cega em que participei com este grupo de 7 amigos, criado pelo Rui Massa (blogue Pingas no Copo) e Jorge Sousa. Os restantes participantes eram o Juca, João Quintela (um dos donos da Néctar das Avenidas), Paula Costa, Pedro Brandão e eu.
Entre outros vinhos, foram provados 6 tintos 2004 do Douro, tendo eu eleito vencedor o Abandonado, logo seguido pelo Pintas e o BOCA (um CARM, cujo lote foi criado pelo Juca e por mim, em Almendra).
."Almoço no Q.B.", em 22/3
Esta crónica sobre este restaurante na Beloura, mereceu um comentário do João Paulo Martins.
."O Anti-Jantar", em 25/3
Aconteceu no Faz Figura, com vinhos da Herdade de Cadouços. entretanto desaparecida. Aconteceu tudo ao contrário do que deve ser um jantar vínico.
."Grupo de prova dos 3", em 30/3
Foi a 1ª sessão deste grupo de prova (Juca , João Quintela e eu) que decorreu no restaurante Nariz de Vinho Tinto, na Rua do Conde, entretanto encerrado.
Os vinhos eram da minha garrafeira, os Scala Coeli 2008 branco e 2007 tinto e, ainda, o Blandy Malvasia 1990.
Este grupo ainda funciona e já vai na 58ª sessão.
."Prova dos 3+4", em 30/3
Foi um almoço, no restaurante As Colunas (na Venda Nova), com um grupo mais alargado, pois aos já mencionados 3 juntaram-se mais 4 antigos amigos e clientes das CAV (Paula Costa, Raul Matos, Carlos Borges e Rui Rodrigues).
Entre outros, foram provados às cegas os Aalto 2004, 2005 e 2006 (este, de longe, o melhor), saídos da garrafeira do João. Marchou, ainda, um Blandy Bual 1948!

Sem comentários:

Enviar um comentário