terça-feira, 3 de abril de 2018

À volta da casta Fernão Pires (1ª parte : a prova didáctica)

1.Introdução
A convite da CVR Tejo, um grupo de enófilos participou numa interessantíssima prova didáctica sobre a casta Fernão Pires (Maria Gomes, na Bairrada). Tendo como pano de fundo uma vista espectacular do Tejo, fomos recebidos pelo presidente da CVR (Luís de Castro) e pelo director geral (João Silvestre) que explicou a casta e respectivos "terroirs", onde ela se desenvolve, ou seja, o Bairro a norte do rio (mais apropriado a tintos), a Charneca a sul e o Campo/Lezíria do Tejo, entalado entre ambos, onde a Fernão Pires melhor se revela. Se bem tratada, produz vinhos longevos e de grande personalidade.
As principais revistas especializadas (Vinho Grandes Escolhas, Revista de Vinhos, Escanção e Paixão pelo Vinho), alguma imprensa generalista (Público, Sábado, Observador e Correio da Manhã) e a blogosfera (Avinhar, Comer Beber Lazer, Gastrossexual, Joli e este enófilo militante) estiveram presentes.
2. A prova
Com orientação dos enólogos Martta Simões (Qtª Alorna) e Diogo Campilho (Qtª Lagoalva) desfilaram uma série de vinhos base representativos da casta Fernão Pires, oriundos dos diversos "terroirs", saídos das cubas e cujo destino final, ou como mono-casta ou para lote, ainda não está definido.A prova foi algo penosa para o meu palato dado que, na maior parte, os vinhos ainda não estavam feitos.
Mas a situação alterou-se quando passámos a provar brancos da casta Fernão Pires já com alguma idade, como foi o caso do Qtª S.João Baptista 2003 (oxidado, mas com uma boa acidez a suportá-lo), do surpreendente e original Terra Larga 5ª de Mahler 2000 (já aqui referido em "Vinhos em família (LXXXIV) : surpresas e desilusões", crónica publicada em 1/2/2018), do Casal Branco Falcoaria 1994 (ainda do tempo do João Portugal Ramos, cheio de saúde e personalidade) e do Caves Dom Teodósio Garrafeira Particular 1983 (este em agonia lenta).
Para fechar esta 1ª parte, provaram-se os colheitas tardias Qtª Alorna 2012, Bridão 2016 e Falcoaria 2014, o mais entusiasmante.
continua...

Sem comentários:

Enviar um comentário