terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Almoço com vinhos fortificados (27ª sessão) : a fechar em glória o 2017

Neste último evento do ano 2017, o chamado Grupo dos Madeiras, na sua máxima força, reuniu na sala privada da Enoteca de Belém. Foi o nosso almoço de Natal. Desta vez, os tachos estiveram à responsabilidade do Rui Marques, braço direito do Ricardo, ficando a orientação do repasto e o serviço de vinhos a cargo do Nelson, uma vez mais. Correu tudo muito bem (gastronomia, copos, temperaturas, ritmo,...), com o desempenho de ambos a merecer nota alta.
A bebida de boas vindas, a acompanhar frutos secos, foi um espumante Loridos, simpática oferta da Enoteca, a cumprir bem a sua missão.
Com os participantes já sentados, desfilaram:
.Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2013 magnum (trazida pelo Modesto) - nariz exuberante, fresco e mineral, presença de citrinos, acidez q.b., algum amanteigado, volume e final de boca assinaláveis. Elegante e equilibrado, pode ser bebido a solo. Nota 18.
.Soalheiro Alvarinho Reserva 2010 (também pelo Modesto) - nariz discreto, alguma evolução e acidez, notas amanteigadas, grande estrutura, mas final de boca médio. Muito gastronómico. Nota 17,5+.
Estes 2 brancos acompanharam pão e azeite Esporão Virgem Extra, ambos belíssimos e uma surpreendente cavala braseada em cama de legumes e puré de milho.
.Qtª Ribeirinho Baga Pé Franco 2005 (garrafa nº602/1400 levada pelo Juca) - ainda com alguma fruta, acidez evidente, um toque metálico, especiado, taninos presentes mas civilizados, algum volume e final de boca muito longo. Elegante e complexo. Nota 18,5+.
.Qtª Vallado Adelaide 2005 (garrafa nº727/2000 levada pelo João) - com base em vinhas velhas; nariz contido, alguma fruta e acidez, taninos presentes, especiado, volume e final de boca consideráveis. Concentrado e complexo. Nota 18,5.
Estes 2 tintos harmonizaram bem com um polvo à lagareiro.
.Qtª Carvalhais Único 2009 (garrafa nº2539 levada por mim) - com base maioritariamente na casta Touriga Nacional; aroma intenso, ainda com fruta, notas florais, acidez equilibrada, taninos civilizados, volume e final de boca consideráveis. Elegante e harmonioso. Nota 18,5.
.Four C 2009 (levado pelo J.Rosa) - nariz intenso, agressivo na boca, volume e final de boca intensos, mas muito desequilibrado. Foi o elo mais fraco. Nota 16,5.
Estes 2 tintos casaram com umas belíssimas bochechas de porco preto, puré de batata doce e ervilhas.
.Bastardinho de Azeitão JMF 1927 (da garrafeira do Adelino, tal como os restantes fortificados) - límpido e cristalino na cor, presença de citrinos e frutos secos, acidez equilibrada, taninos presentes, volume e final de boca consideráveis. Impressionante! Nota 18,5+.
.Adega do Torreão Bastardo 1927 - presença de frutos secos, notas de iodo e caril, vinagrinho algo excessivo, sabor a garrafa pronunciado, algum volume e final de boca interminável. Controverso, suscitou paixões e desamores. Uma raridade! Nota 17,5.
Estes 2 fortificados de 1927 acompanharam um papo de anjo e fruta laminada.
.Justino's Terrantez Old Reserve - fortificado com algumas dezenas de anos; presença de frutos secos, citrinos, vinagrinho, notas de iodo e brandy, taninos evidentes, volume e final de boca consistentes. Muito complexo e equilibrado. Outra raridade! Nota 19.
Acompanhou uma tábua de queijos.
Foi mais uma grande sessão de convívio, comeres e beberes, com algumas raridades que se bebem uma vez na vida (obrigado, Adelino!).

Sem comentários:

Enviar um comentário