quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

2017 : na hora do balanço (I) - TOP 10 Brancos

Esta é a 1ª crónica, de uma série delas, dedicada ao balanço vínico do ano transacto, contemplando os brancos que mais gostei. Os vinhos seleccionados foram provados/bebidos ao longo do ano, no âmbito dos grupos a que pertenço (Grupo dos 3, Novo Formato+, Grupo dos Madeiras e Grupo dos 6), em família ou com amigos, jantares vínicos e em espaços de restauração. Ficaram de fora os brancos provados em painéis formais (1º concurso Vinho Grandes Escolhas, ex-Escolha da Imprensa) e em provas alargadas, de pé e sem grandes condições para tomar notas, como foi o caso da Garcias (Hotel Ritz), José Maria da Fonseca (By the Wine), Adega Cooperativa da Vidigueira (Espelho d'Água), Mont'Alegre (Sheraton), Bairradão (Hotel Real Palácio), Real Companhia Velha (Le Consulat), Qtª Nova N. Srª do Carmo (Sheraton?), Vinhos do Alentejo (CCB) e Decante Vinhos (Hotel Ritz). Esta metodologia também se aplicará aos tintos e fortificados, a referir em próximas crónicas.
O TOP brancos está organizado por ordem alfabética, para os vinhos com a mesma nota (os 8 primeiros com 18 e os 2 restantes com 17,5+). E eles são:
.Anselmo Mendes Curtimenta Alvarinho 2012  (V. Verdes)
.Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2014 (V. Verdes)
.Casa das Gaeiras Reserva Vinhas Velhas 2015 (Lisboa)
.Lacrau Garrafeira 2011 (Douro)
.Maçanita Os Canivéis 2015 (Douro)
.Olho no Pé Reserva Vinhas Velhas 2014 (Douro)
.Soalheiro Alvarinho 2011 (V. Verdes)
.Terrenus Vinha da Serra 2014 (Alentejo)
.Adega Mãe 221 2015 (V.Verdes/Lisboa)
.Marquês Marialva Grande Reserva 2013 (Bairrada)
Não estão, mas podiam estar (tiveram a mesma nota que os 2 últimos) o Anselmo Mendes Parcela Única Alvarinho 2013 (V. Verdes), Conceito 2013 (Douro), Grandjó Late Harvest 2012 (Douro), Kompassus Reserva 2013 (Bairrada), Portal do Fidalgo Alvarinho 2011 (V. Verdes), Qtª do Ameal Escolha 2015 (V. Verdes), Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2012 e 2015 (V. Verdes).
Também não foram incluídos alguns brancos que já constaram em TOPs de anos anteriores, como é o caso do Primus 2013 (Dão), Soalheiro Alvarinho Reserva 2014, Soalheiro Alvarinho 1ª Vinhas 2010 e 2011 (V. Verdes).
É de salientar:
.A região Vinhos Verdes e a casta Alvarinho, com praticamente 50 % dos vinhos seleccionados
.A consistência das marcas Soalheiro e Anselmo Mendes
.A presença confortável do Douro
.A quase ausência dos brancos do Dão, uma injustiça (mea culpa)
.A inclusão de marcas fora dos radares da crítica (Casa das Gaeiras, Olho no Pé e Marquês Marialva).
A próxima crónica será dedicada aos vinhos tintos.

4 comentários:

  1. E as propostas no que respeita a vinhos brancos do Dão (e da Bairrada) são muitas.

    Um grande abraço e bom ano!
    Rui

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Rui,
      Eu já me penintenciei. Em 2018 vou estar mais atento aos brancos do Dão e da Bairrada, como estive em 2016 (no TOP 10 ficaram 3 Dão e 2 Bairrada).
      Um abraço e Bom Ano,
      Francisco

      Eliminar
  2. a minha humilde lista de 10 brancos provados em, do 1º para o 10º:

    Soalheiro Terramatter 2015
    Arrepiado Collection 2015
    Sem Igual 2014
    Quinta do Valdoeiro Reserva 2010
    Palmeirim D'Inglaterra 2015
    Somontes 2015
    Aveleda Reserva da Família Bairrada 2014
    Vale da Capucha 2013
    Quinta do Pôpa Black Edition 2015
    Herdade do Arrepiado Velho Riesling2015

    aquele somontes é um vinho de 3 euros. rqp fabulosa.

    luís pedroso

    ResponderEliminar