terça-feira, 27 de junho de 2017

Grupo dos 6 (3ª sessão) : tintos de 2009, um branco de eleição e um Madeira de excelência

Este grupo, já formalmente apresentado na crónica "Almoço com Bual 1920 e outras pingas de eleição", publicada em 14/2/2017, temporáriamente reduzido a 5, reuniu-se no restaurante Comendador Silva para apreciar 2 brancos de referência, 2 tintos de 2009 e o sublime Blandy Bual 1977.
Desfilaram:
.Marquês de Almeida Grande Reserva 2015 (levado pelo Juca) - um Beira Interior produzido pela CARM, com base nas castas Síria (45 %), Fonte Cal (30 %) e Arinto (25 %), fermentou em barricas de carvalho francês, seguido de "batonnage" durante 8 meses: cor dourada, presença de citrinos, fruta madura, acidez no ponto, notas amanteigadas, algum volume e final de boca considerável. Uma boa surpresa. Nota 17,5.
.Terrenus Vinha da Serra 2014 (levado por mim) - com base nas castas Arinto, Fernão Pires, Bical, Roupeiro, Malvasia e Tamarez, em vinhas velhas situadas na Serra de São Mamede, a 750 metros de altitude, fermentou em cubas de cimento e estagiou 6 meses em barricas de carvalho francês; Prémio Excelência 2016 atribuído pela antiga RV; mais fresco e mineral que o anterior, bela acidez, alguma gordura, elegante e sofisticado, volume e final de boca notáveis. Uma das 1000 garrafas produzidas e ainda longe da reforma. Um grande branco! Nota 18.
Estes 2 brancos acompanharam sopa de peixe e marisco e, ainda, massa folhada com pica pau de novilho.
Paço dos Cunhas Vinha do Contador (levado pelo Frederico) - estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês; nariz intenso, ainda com muita fruta, fresco, algo especiado, taninos imponentes, volume e final de boca assinaláveis, ainda cheio de juventude, pode beber-se nos próximos 6/7 anos. Nota 18.
.Villa Oliveira (levado pelo João) - nariz austero, alguma fruta, notas terciárias, algum volume e final de boca; mais evoluído que o anterior, está no ponto óptimo de consumo. Nota 17,5.
Estes 2 tintos maridaram com massa fresca com gambas (este prato teria ligado melhor com os brancos) e magret de pato (boa ligação).
.Blandy Bual 1977 (levado pelo J.Rosa) - engarrafado em 2007; frutos secos, vinagrinho bem presente, notas de iodo e caril, volume assinalável e final de boca interminável. Complexo, elegante e sofisticado. Nota 19.
Bom serviço de vinhos, copos e temperaturas à altura. Pena é que continuem com os televisores ligados, embora sem som. Não trazem nenhum valor acrescentado. Só por teimosia dos responsáveis.

Sem comentários:

Enviar um comentário