terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Grupo dos 3 (43ª sessão) : tintos 2004 em alta e 1 branco surpreendente

Esta última sessão, que decorreu no restaurante deCastro (Praça das Flores), foi a 15ª da minha responsabilidade. Até agora tenho conseguido organizar estes almoços sempre em espaços diferentes (Nariz de Vinho Tinto, A Commenda, Assinatura, Xico's, Manifesto, Sem Dúvida, Casa da Comida, Bg Bar, Tapas e Wine Bar Tágide, Jacinto, Rubro Avenida, Chefe Cordeiro, 1300 Taberna e Avenue). A comida pode não ser sempre excelente, mas o serviço de vinhos, a minha preocupação maior, tem sido irrepreensível em todos os locais visitados.
No deCastro correu tudo muito bem, desde a gastronomia, tipicamente portuguesa mas com alguma criatividade, até ao serviço de vinhos, a cargo do Nuno, a merecer umas 5 estrelas. Na sala, a maestrina é a Graça, mulher do Miguel Castro e Silva, que organizou tudo a nosso contento, incluindo a compra de decantadores de qualidade. Seria injusto não referir o trabalho muito profissional de outra empregada que, lamentavelmente, não retive o nome.
Os vinhos (1 branco, 2 tintos de 2004 e 1 Moscatel Roxo), vindos da minha garrafeira, estiveram todos à altura desta sessão para enófilos militantes. E eles eram:
.Casa das Gaeiras Reserva Vinhas Velhas 2013 - com base na Casta Vital em vinhas velhas; nariz contido, a libertar-se ao longo da prova, fruta madura, belíssima acidez, elegância, alguma gordura, volume e final extenso; tipicamente um branco de outono/inverno. Um branco surpreendente, a confirmar a inclusão no meu balanço de 2014. Excelente relação preço/qualidade. Nota 18 (a mesma da situação anterior).
Acompanhou bem o couver, bacalhau fumado, salada fria de peixe e peixinhos da horta.
.Batuta - nariz contido, fruta ainda presente, excelente acidez, taninos firmes e civilizados, elegante e harmonioso, volume assinalável e final longo. Em forma mais 4/5 anos. Nota 18,5 (noutras 17+/18,5/18/18+/17,5+/16,5).
.Vale Meão - nariz exuberante e complexo, acidez no ponto, especiado, algum tabaco e chocolate preto, volume evidente e final interminável. Um grande Douro no apogeu da sua vida, mas ainda longe da reforma. A beber nos próximos 6/7 anos. Nota 19 (noutras 19/18,5/18,5+/16,5).
Em qualquer dos vinhos, a nota 16,5 pode referir uma garrafa avariada ou a minha má disposição no momento das provas!
Os tintos maridaram com ervilhas com enchidos e ovo escalfado, iscas do cachaço de bacalhau, filetes de polvo com açorda de tomate e pernil de borrego com ensopado de grão e cogumelos do campo. Excelentes estes dois últimos e desinspiradas as ervilhas.
.Moscatel Roxo JP 1991 - aroma complexo, citrinos com predominância de tangerinas, acidez equilibrada, taninos presentes e final longo. Um belíssimo Moscatel, embora sem a complexidade dos pesos pesados da JMF. Nota 17,5+.
Casou bem com um saboroso toucinho do céu com sorvete de framboesa, mas já o mesmo não aconteceu com o gratinado de maçã, nada interessante.
Mais uma boa jornada de convívio, comeres e beberes. Em muito se deve ao deCastro, não é demais repeti-lo, onde trabalha quase toda a família do Miguel Castro e Silva (mulher, filhas e genro).
Volto a recomendar este espaço. Já o tinha feito na crónica "Almoço no deCastro", publicada em 7/3/2014.
Falta dizer que a família Castro e Silva abriu uma loja gourmet, em frente ao restaurante, onde se pode comprar vinhos, conservas, compotas,etc...e, futuramente, refeições preparadas pelo chefe.


2 comentários:

  1. Francisco,
    E onde comprar esse Casa das Gaeiras Reserva Vinhas Velhas?
    Abraço,

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo (penso ser o Luis),
    Eu compreio-o num restaurante (Sabores d' Itália, nas Caldas da Rainha), onde me disseram que o distribuidor é a garrafeira Estado Líquido (também nas Caldas). Pode comprar on-line.

    ResponderEliminar