terça-feira, 19 de novembro de 2013

Evento Wine Bloggers na José Maria da Fonseca - versão 2013 (I)

1.Preâmbulo
Não é demais referir a postura que a JMF tem tido com  o mundo da blogosfera. Para quem não se lembrar, remeto para "Evento Wine Bloggers na José Maria da Fonseca (JMF)", crónica publicada em 25/10/2011. Em 2 de Novembro, teve lugar mais uma visita, prova e almoço, exclusiva para bloguistas (desculpem-me lá, mas prefiro a palavra portuguesa), sendo de destacar e agradecer o envolvimento do Domingos Soares Franco (6ª geração) e da Sofia (7ª geração).
Só para provar o Moscatel 1975, em amostra de casco, valeu a pena a deslocação a Azeitão!
2.A prova
Orientada pelo Domingos, a prova incluiu 5 novos brancos da colheita de 2013, Verdelho, Verdejo, Sauvignon, Viosinho e Alvarinho. Confesso que tenho alguma dificuldade em provar vinhos acabados de fazer, pois parecem-me todos muito semelhantes e onde ainda é notória a presença de gás. Falta-lhes o tempo de garrafa indispensável ao seu crescimento e definição do que virá a ser a sua personalidade própria. Mesmo assim, talvez porque tivesse sido  o 1º a ser provado, ficou-me na memória o Verdelho.  Provámos, ainda, um espumante rosé da colecção privada DSF 2012, com base na casta Moscatel Roxo,  que mostrou bolha fina, frecura, leveza e ser óptima companhia para aperitivos e entradas leves. E  também um tinto com base em 152 castas (!), proveniente da vindima de 2012, protagonizada por um grupo de bloguistas convidados para tal feito.
3.O almoço
Foi o ponto mais alto do evento, onde foram provados (e bebidos,claro!) uns tantos vinhos de topo, alguns no patamar da excelência.
Começámos com creme de cenoura, acompanhado pelo Pasmados Branco 2009, que vai na linha do 2008, um branco contra a corrente e cheio de personalidade, que teria brilhado se servido no final com o queijo de Azeitão.
Com o prato principal, bacalhau verde com coentros, broa de milho, batatinhas e salada, foram servidos 3 soberbos tintos da linha super premium, José de Sousa Mayor 2011 (58% de Grand Noir), J 2011 (60% de Grand Noir) e Periquita Superyor 2009 (94% de Castelão Francês). Gostei dos 3, mas, para o meu gosto, elegi o Periquita, talvez porque tem 2 anos de vantagem sobre os outros.
Com uma torta de Azeitão, seguiu-se o Moscatel de Setúbal DSF 1999 (versão Armagnac), a portar-se bem, como habitual.
Mas, o vinho da tarde viria a seguir, o Moscatel Superior 1975 (em amostra de casco, a ser engarrafado daqui a uma série de anos) já na área da excelência. Já lá tem quase tudo (vinagrinho, frutos secos, caril, brandy...), mas o Domingos ainda quer mais!
 Em breve, farei um aditamento onde constará, para memória futura, quem esteve presente.

Sem comentários:

Enviar um comentário