segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Revista de Vinhos : 15 anos de prémios (III)

Como já referi, a Região do Douro é a que mais conseguiu obter prémios Excelência em tintos, 105, contra 72 do Alentejo, a 2ª região mais premiada. No entanto, se analisarmos quem foram os melhores enólogos (ENO), produtores revelação (REV), produtores (PRO) e empresas (EMP) destas regiões, notam-se algumas assimetrias. Ou seja, comparando o Douro com o Alentejo :
ENO - 5/8, REV 2/10, PRO 4/2 e EMP 7/4, sendo o total de agentes premiados de 18 para o Douro e 24 para o Alentejo. Dito de outra maneira, o Douro tem francamente mais Excelências, mas menos agentes premiados.
Será também interessante lembrar, ano a ano, os eleitos pela RV, com a indicação da categoria onde se inserem:
.1997 - Anselmo Mendes (ENO) (a meias com os Vinhos Verdes)
.1998 - José Maria Soares Franco (ENO) e Sogrape (EMP) (em conjunto com o Dão)
.1999 - Domingos Alves  Sousa (PRO) e Real Companhia Velha (EMP)
.2000 - nenhum
.2001 - Qtª Vale Meão (REV)
.2002 - João Nicolau de Almeida (ENO)
.2003 - Qtª do Crasto (PRO)
.2004 - Lavradores de Feitoria (PRO)
.2005 - nenhum
.2006 - Domingos Alves de Sousa (PRO), Dão Sul (EMP) (Também abrange o Dão e a Bairrada) e Niepoort (EMP)
.2007 - Qtª do Portal (EMP)
.2008 - nenhum
.2009 - Jorge Moreira (ENO)
.2010 - Francisco Olazabal (ENO) e Sogrape (EMP)
.2011 - Qtª dos Frades (REV) e Duorum Vinhos (EMP)
Cruzando esta lista com a dos vinhos Excelência, saltam à vista algumas omissões no que diz respeito a enólogos, algumas delas de bradar aos céus. Assim:
.A Qtª do Crasto, a mais premiada em vinhos, só alcançou o prémio Produtor, ficando ignorada a equipa de enologia
.Tanto o Dirk Niepoort, um dos grandes senhores do Douro, como o Luis Seabra, também não foram distinguidos; apenas foi agraciada a empresa, ex-aequo com a Dão Sul
.Talvez ainda mais polémico, o casal de enófilos mais mediático de Portugal (Jorge Serôdio Borges e Sandra Tavares da Silva) nunca foram premiados, o que não se entende de todo. Para que conste, em conjunto tiveram 6 vinhos Excelência, o Pintas 01, 03, 04, 05, 07 e 09. Mais, a título individual, a Sandra teve mais 4 Excelências, o CV 04, 06, 07 e 08, e o Jorge mais 2, o Passadouro Reserva 08 e 09. Surrealismo puro!
A propósito, na crónica "Rescaldo dos Prémios 2011 da Revista de Vinhos", publicada em 12/2/2012, já tinha posto o dedo na ferida, em relação ao Jorge, o que provocou uma resposta do João Paulo Martins e uma contra-resposta minha.

3 comentários:

  1. Sempre assertivo e às mais das vezes provocador, porque sabe que pode. É sempre com grande prazer que leio os seus posts.

    ResponderEliminar
  2. Caro FBC, todas as opiniões são respeitáveis e as suas ainda mais mas afinal o que tem de surrealismo o facto de nem sempre concordarmos? JG

    ResponderEliminar
  3. Caros Amândio Cupido e João Geirinhas,
    Obrigado pelos vossos comentários.

    ResponderEliminar