domingo, 4 de março de 2012

Almoço na Tasca República

Este restaurante, que de tasca não tem nada, fica no nº 312 da Rua de São Bento e pertence aos mesmos donos da Tasca Urso, instalada na Rua Monte Olivete nº 32-A, ao Príncipe Real.
É uma sala aconchegada, bem aparelhada, com guardanapos de pano, serviço eficiente e profissional, feminino e super simpático. De referir o pormenor de um cliente que, ao levantar-se da mesa para atender uma chamada, deixou cair no chão o guardanapo que tinha no colo. Rapidamente, uma das empregadas, sem que o cliente se tivesse apercebido, apanhou o guardanapo e substituiu-o de imediato. É assim que se vê o profissionalismo de cada um (neste caso, de cada uma).
A Tasca República parece ser uma antena do Parlamento, tal a quantidade de deputados e ex-ministros que por lá almoçam. Todos da oposição, a avaliar por umas caras bem conhecidas. Os deputados da maioria e os actuais governantes devem estar mais preocupados, em consonância com o FMI, em congeminar mais medidas para apertarmos o cinto. Nem têm tempo para almoçar fora da Assembleia!
Mas voltando ao que interessa, optei pelo Menú da semana; por 10 € tem-se direito a couvert, sopa, 1 prato (a escolher entre 4), sobremesa e 1 bebida (o café é à parte). Estava tudo com qualidade, especialmente o Bacalhau à Braz, saboroso e sem vir a pingar gordura, como é habitual noutras paragens.
Mas nem tudo são rosas. A componente vínica tem que dar uma grande volta. Lista mal estruturada, sem anos de colheita e sem vinho a copo (só estava disponível o da casa, francamente desinteressante; já no final do almoço, descobri que, afinal, havia como vinho do mês, o Altas Quintas Crescendo, a 2,50 €, que teria sido uma boa solução se me tivessem informado). Ainda por cima, os preços eram altos. Quanto a copos, havia de várias espécies e feitios, tendo ficado com a impressão que o modelo posto na mesa tinha a haver com a atitude de cada cliente. A mim, calhou-me um copo dos bons.
Por simpatia do dono, acabei por beber o tinto Maritávora 07, aberta a garrafa na altura e tendo pago apenas o correspondente ao que consumira. O Maritávora estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês e mostrou fruta vermelha, acidez, alguma rusticidade, taninos vigorosos e um bom final de boca. Nota 16,5+.
Finalmente, à 5ª feira têm leitão vindo expressamente da Bairrada. Hei-de voltar.

Sem comentários:

Enviar um comentário