sábado, 16 de julho de 2011

Rescaldo da ida ao Douro (I) : o DOC...

Voltei ao DOC passados 4 anos. A 1ª visita aconteceu pouco tempo depois da abertura deste restaurante. Estávamos (o antigo núcleo duro das CAV) numa das nossas habituais visitas a produtores do Douro e decidimos conhecer o restaurante que começava a ser badalado pela sua qualidade. Lembro-me que, nessa 1ª vez, nem correu muito bem por culpa de um dos donos, o irmão do Rui Paula, que tinha tanto jeito para ser chefe de sala como eu para cozinhar, ou seja, um autêntico desastre.
Desta vez, já com a mulher do Rui Paula na sala, a substituir o cunhado, correu tudo às mil maravilhas. O DOC, literalmente em cima do rio, em Folgosa do Douro e junto à estrada Régua - Pinhão, é um espaço moderno, acolhedor, com uma invejável esplanada, cozinha criativa a cargo do consagrado chefe Rui Paula e uma equipa jóvem, profissional, despachada e simpática. Puro requinte!
Comeu-se sopa de peixe, gaspacho, caril de gambas e um cabritinho divinal. Ofereceram-nos no início do almoço 3 "amouse de bouche" e mais 1 no final para limpar a boca. Qualidade e simpatia!
Quanto a vinhos, a carta é monumental, com esmagadora maioria dos vinhos do Douro e Porto. Mais : oferta alargada de vinhos a copo, copos de qualidade, boas temperaturas e serviço impecável. Que mais se pode exigir?
Bebeu-se, a copo, o branco Curva Reserva 09 (muito fresco e equilibrado; nota 16) e o tinto Qtª Avidagos Grande Reserva Rui Paula 07 (pujante, mas prejudicado pelo excesso de álcool, 15,5 % vol; nota 15,5) e, ainda, o Porto ruby Taylor's Reserve, gentil oferta da casa.
Em conclusão, o Doc é uma referência não só no Douro, como no resto do país e vale todo os euros da conta. Fará, de certeza, parte do meu TOP 10, quando do balanço do ano.

Sem comentários:

Enviar um comentário